História

Lançamento da Pedra Fundamental - 20 de Janeiro de 1978

Às 10 horas teve início a solenidade de lançamento da Pedra Fundamental, simbolicamente lançada a semente do primeiro marco, da primeira estaca, do Lar dos Velhinhos Maria Madalena.

Estiveram presentes o Governador do Distrito Federal Engenenheiro Elmo Serejo, Dr. Mário de Almeida, Dirigente do cerimonial, o arquiteto César Barney autoridades do governo, secretários de estado, senadores, Administradores das Cidades-Satélites, Dirigentes de Centros Espíritas de Brasília, empresários, comerciantes, imprensa, confrades e confreiras espíritas, representantes das diferentes comunidades religiosas do Núcleo Bandeirante e o povo em geral, ao som da Banda Marcial da Polícia Militar em seu traje de gala.

Palavras de Cauhy
“Houve troca de saudações, de abraços. A alegria pairava por sobre todos os presentes, contagiando indistintamente os adultos, autoridades e crianças. Até a natureza parecia compartilhar da nossa euforia. O dia estava lindo. O verde das árvores Luzia aos raios solares como se as folhas fossem de esmeralda”.
Placa Comemorativa






“Fiz emocionado discurso em que às lágrimas de alegria se uniram às de saudade de companheiros ausentes, desencarnados ou que abandonaram a obra, para tristeza nossa. Em todos os instantes o meu proferimento, sentia a presença amiga da Espiritualidade dando-me forças, inspirando-me. Confesso que até hoje não sei como dei conta de falar naquele dia”.







Foram colocados na urna que ficaria lacrada dentro da Pedra fundamental: chaveiros, mensagens, lembranças, jornais do dia e a Ata do Evento, o texto da placa comemorativa foi este:



Foram distribuídos neste dia tão especial, 300 exemplares do Evangelho Segundo o Espiritismo, além de plantadas várias mudas de árvores. A felicidade era geral, foi um dia para ficar na história, acabada a cerimônia, fomos buscar Divaldo Pereira Franco, no aeroporto Internacional de Brasília, conferencista que faria uma palestra à noite em comemoração ao lançamento da Pedra Fundamental.
_____________________________________________________________________

Inauguracao Oficial do Lar Dos Velinhos - 7 de Março de 1980

Às 10 horas com o ar vibrando ao som da Banda Marcial do Corpo de Bombeiros de Brasília, e com nossos corações batendo aceleradamente, dávamos início a solenidade de inauguração oficial do Lar dos Velhinhos, um sonho se tornava realidade.

Estiveram presentes o Governador do Distrito Federal Cel. Aimé Alcebiades  Lamaison, todos os secretários de governo, altas autoridades civis, militares e religiosas, confrades de todos os Centros Espíritas de Brasília e até de outras unidades da Federação, do povo e, geral, de lideranças do Núcleo Bandeirante, de comerciantes, de empresários, de representantes das Federações e Associações de Classe e numerosos amigos.

Palavras do governador, muito emocionado pelo que via e sentia
“Esta obra é muito importante para mim e para o governo, pois prestará relevantes serviços assistenciais à população carente do Distrito Federal”.

A Placa Comemorativa Ficou Assim
O pavilhão, residência para os idosos, tinha 18 suítes, todas equipadas com 3 confortáveis camas, um armário embutido com 3 divisórias, uma para cada ocupante do quarto e um banheiro completo, com água quente e fria, em cada uma delas. Os pavilhões residenciais contavam ainda com sala de estar coletiva dotada de televisão, amplo corredor de circulação com sistema de som-ambiente, varandão para repouso e leitura, enfermaria, rouparia e alojamento para a enfermeira responsável pelo mesmo.

Fotos dos Primeiros Idoso a Chegarem no Lar
Palavras de Cauhy
“O ambiente era de euforia geral. A alegria estava estampada no rosto de todos. Não havia quem não vibrasse com o acontecimento: 150 velhinhos teriam agora um lugar limpo, agradável, confortável, onde poderiam desfrutar calmamente, cercados de carinho e atenções”.

“Após a cerimônia, já em minha casa, recolhido em meu quarto, depois de tudo encerrado, o coração pleno de jubilo, entoei um cântico de louvor à Espiritualidade, agradecendo as dádivas recebidas e a oportunidade de serviço que nos fora dada. Custei a dormir naquela noite, tamanha era a emoção que me avassalava a alma”.
____________________________________________________________________

JORGE CAUHY JÚNIOR27/01/1924 a 31/5/2005

Natural de Uberaba-MG, onde nasceu em 27 de janeiro de 1924, filho de Jorge Cauhy e América Cauhy. Educou-se em Uberlândia, onde viveu sua infância e residiu até 1960, ano em que transferiu-se para Brasília. Paralelamente às suas atividades profissionais, dedicou-se a benemerentes serviços no campo assistencial e religioso, como também no setor social da Capital Federal. 
"Jamais deixamos de alimentar a esperança e a certeza de que haveríamos de vencer os obstáculos com que nos deparássemos".

Foi sempre com esta frase, uma confiança muito grande em Deus, pois ele sempre dizia, "o Patrão é rico", que Cauhy, o mecânico e bom mineiro de Uberaba, sem curso universitário ou médio, superou suas limitações culturais e dedicou sua vida em prol dos menos favorecidos, com um talento inato  para comunicador e um coração enorme.

- Presidente do Centro Espírita Sebastião o mártir de 1962 a 2005;
- Conselheiro da Federação Espírita do Distrito Federal, desde 1968;
- Conselheiro da Casa de Ismael, desde 1971;
- Fundador e presidente da Associação Comercial do Núcleo Badeirante(DF) (1976-1978)
- Fundador, Construtor e Presidente do Lar dos Velhinhos Maria Madalena, Creche Irmã Elvira, Casa da Sopa, Escola de Capacitação Joanna de Ângelis, Instituto de Gerontologia de Brasília, Casa da Mãe Solteira.
- Diretor da Associação Comercial do Distrito Federal. (1970/1980)
- Título de Cavalheiro da Ordem do Mérito de Brasília, conferida pelo Governo do Distrito Federal.
- Título de Personalidade do ano de 1983, conferido pela Associação de Imprensa de Brasília.
- Título de cidadão honorário de Brasília (1999)
- Presidente da Associação Profissional das Instituições Religiosas e Filantrópicas do Distrito Federal.
- Exerceu 4 mandados de Deputado Distrital por Brasília, durante 14 anos.
 Almoço Beneficente - 31/5/1970


- Aprovou várias leis visando o social, entre elas a lei que Cria o Conselho do Idoso do Distrito Federal, dispõe sobre a Política de Assistência ao Idoso, Lei que isenta do pagamento de tarifas de serviços de esgotos sanitários as entidades assistenciais e beneficentes declaradas de utilidade pública do DF, Lei que isenta do pagamento da TLP – Taxa de Limpeza Pública as entidades assistenciais e beneficentes declaradas de utilidade pública do Distrito Federal, Lei  que dispõe sobre a criação de seções especiais de atendimento ao idoso nas delegacias do Distrito Federal. 

Todas as Leis Estão no Site: Clique Aqui


- Foi presidente das Comissões de Assuntos Sociais e de Defesa dos Direitos Humanos, Cidadania, Ética e Decoro Parlamentar.


____________________________________________________________________

Serviço:

há um livro que conta a história do Lar dos Velhinhos e de Cauhy
título: Do amor ao trabalho
você encontra no Lar dos Velhinhos 3552-0504